Artigos

Existem duas patologias relativamente comuns na região do quadril que, por vezes, podem confundir quando o assunto é diagnóstico ortopédico. São elas a bursite no quadril e a tendinite no quadril, problemas que possuem sinais e sintomas semelhantes, mas que, em sua essência, são bem diferentes e precisam de atenção.

O que são?

A tendinite no quadril provoca inflamação e, consequentemente, a degeneração dos tendões dos músculos glúteos. A bursite, por sua vez, é a inflamação na bursa, uma pequena bolsa cheia de líquido sinovial e presente nos locais onde músculos ou tendões entram em atrito com os ossos. Essa estrutura atua para evitar que as estruturas se danifiquem pelo atrito constante do dia a dia e da movimentação natural do corpo.

Causas e sintomas

A bursite no quadril e a tendinite no quadril possuem sintomas semelhantes e, normalmente, o paciente apresenta:

- Dores nas articulações;

- Dores no quadril;

- Dificuldade de movimentação;

- Inchaços e pontadas na região.

Frequentemente, esses sintomas aparecem aos poucos e surgem quando o paciente começa a fazer algum esforço, seja ele carregar peso, se exercitar em excesso na academia ou durante a prática esportiva, etc.

As causas, entretanto, são um pouco diferentes de enfermidade para enfermidade. No caso da bursite no quadril, por exemplo, ela surge devido a outras doenças, por desequilíbrio muscular ou exercícios intensos feitos de maneira equivocada.

A tendinite no quadril, por sua vez, é resultado do excesso de carga e impacto na região. A doença também está relacionada à idade, devido ao desgaste natural das articulações.

Diagnóstico

Para se diagnosticar tanto a bursite no quadril, quanto a tendinite no quadril, o médico ortopedista especialista em quadril irá realizar exame físico para avaliar a presença de sinais de dor ou de sensibilidade no local. Além disso, é preciso que o paciente relate ao médico toda a rotina, quais exercícios faz e desde quando começou a sentir dores e limitações.

O médico ortopedista especialista em quadril poderá solicitar exames de imagem, como ressonâncias e radiografias, para ter certeza de que se trata de um problema específico como, por exemplo, uma bursite.

Diante dos resultados, o médico poderá recomendar o tratamento adequado e, se necessário, alguma medicação.

Tratamento

Os tratamentos para as duas enfermidades a bursite no quadril e a tendinite no quadril, são semelhantes. O processo pode ser feito por meio de remédios analgésicos e anti-inflamatórios, além de sessões de fisioterapia e compressas de gelo no local.

E é na fase da fisioterapia que o tratamento se diferencia. É preciso ressaltar que o diagnóstico precisa ser o correto, para que o fisioterapeuta consiga desenvolver o seu trabalho da maneira certa, já que, dependendo da enfermidade, o tipo de exercício muda.

A ideia da fisioterapia é a de fortalecer os músculos próximos da região afetada e, com isso, além de melhorar o desempenho nas atividades do dia a dia, tirar a carga de cima do local afetado. Por essa razão é preciso seguir a rotina de exercícios à risca, buscando melhorar a qualidade física e diminuir as dores.

Apenas nos casos mais graves, ou em casos que não tiverem resultado com o tratamento conservador, recomenda-se a intervenção cirúrgica que, nos dois tipos de patologia (bursite e tendinite) é feita por meio de artroscopia – uma intervenção simples e com grandes chances de sucesso.

Outras informações 

Ao menor sintoma dessas duas doenças, o recomendado é procurar um médico ortopedista especialista em quadril para saber qual é o diagnóstico e qual tratamento seguir.

Recomenda-se, também, evitar a automedicação, tendo em vista que a ação pode piorar os sintomas, elevando o problema para níveis mais graves.

Por fim, é preciso se dedicar à fisioterapia. Com sessões seguidas à risca, as dores tendem a diminuir e é possível voltar às atividades diárias rapidamente, sem correr o risco de que o problema volte a aparecer.