Artigos

O que é?

O quadril constitui uma das principais articulações do corpo, responsável por grande parte da mobilidade corporal e é composto pelos ossos pélvis, acetábulo e fêmur (que é o maior osso do corpo humano). Entre esses ossos, existe uma camada de cartilagem que auxilia na mobilidade e funciona como um amortecedor do peso corporal durante movimentos. Quando ocorre alguma lesão nessa cartilagem, pode haver rigidez e dor, além do que, essa lesão pode ser pequena, média (as duas não necessitam de cirurgia) ou grave.

A Artroplastia do Quadril, também chamada de prótese de quadril, é uma cirurgia utilizada para melhorar o desempenho e aumentar a qualidade de vida do indivíduo nos casos em que a mobilidade do quadril esteja comprometida. Em suma, a artroplastia é a substituição parcial ou total da articulação original por uma prótese feita justamente para substituir a avariada. De acordo com estudos realizados nos Estados Unidos, 300.000 cirurgias desse tipo são realizadas por ano no país.

Existem diversas versões de próteses disponíveis no mercado, mas poucas são amplamente utilizadas por conta de recomendações médicas e das características do paciente. A Artroplastia de Quadril foi usada pela primeira vez em 1960, e desde então tem evoluído, tanto no procedimento quanto nas próteses de quadril, que podem ter durabilidade de até 20 anos e normalmente são feitas de titânio, plástico ou cerâmica.

Em quais circunstâncias deve ser realizado o procedimento?

A artroplastia de quadril é recomendada por ortopedistas especialistas em quadril e é usada para os casos onde a lesão for séria, a ponto de lesionar grande parte da articulação ou destruí-la completamente, causando choque entre os ossos. Essas lesões podem ocorrer por diversos motivos, como:

  • Doenças que lesionam o quadril, como artrose do quadril, artrite reumatoide, artrite pós-traumática, necrose da cabeça femoral, Impacto Femoroacetabular. Elas normalmente são tratáveis por meios conservadores (sem a necessidade de cirurgia do quadril), mas se por ventura forem graves, somente a operação pode auxiliar, e é para esses casos que a artroplastia é recomendada.
  • Traumas causados por cirurgias anteriores na articulação.
  • Fraturas do quadril ocorridas durante acidentes (como ao tropeçar e cair ou sofrer um acidente de carro ou moto).

Como é o procedimento e o que o paciente deve fazer?

Na véspera da cirurgia do quadril, o paciente deve tomar alguns cuidados, como ficar em jejum nas dez horas anteriores ao procedimento e ter uma noite de sono adequada (oito horas). É importante retirar quaisquer objetos estéticos, como brinco, colar ou piercing e separar objetos de higiene pessoal e roupas para o período que permanecer no hospital. O paciente deve ser hospitalizado antes da cirurgia, já os médicos responsáveis devem realizar exames complementares para avaliar a saúde do paciente antes da cirurgia.

O procedimento é realizado em um ambiente estéril, uma sala com os equipamentos necessários e uma equipe médica especializada. Para prosseguir com a cirurgia, deve ser aplicada anestesia geral no paciente; o procedimento dura em média três horas entre fazer a incisão, retirar a estrutura avariada e inserir a prótese e fechar a incisão. Após esse período, o paciente recém operado deve permanecer na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para o efeito da anestesia passar.

Como é o pós-operatório? Quanto tempo leva a recuperação? Que tipo de cuidados se deve ter?

É muito importante que o paciente realize o passo a passo indicado pelo médico para o pós-operatório, de modo que não danifique a prótese e para dar tempo ao corpo se recuperar da cirurgia. O paciente deve iniciar leves exercícios logo após a cirurgia, como movimentar os pés para cima e para baixo ou contrair os músculos da perna e da coxa, evitando que ocorra trombose. Outro cuidado muito importante é manter uma dieta balanceada e tomar muita água.

Os pontos devem ser retirados em até duas semanas após a cirurgia e mesmo após esse período, o paciente deve evitar molhar o local até que ele esteja seco. Dependendo do tipo de prótese e da saúde física do paciente, ele pode permanecer até mesmo 45 dias sem apoiar o membro operado. O ortopedista especialista em quadril pode indicar ainda sessões de fisioterapia para auxiliar na recuperação e no fortalecimento muscular.

Vale salientar que o paciente deve realizar alguns cuidados recomendados pelo médico, como não dobrar em mais de 70º graus a perna operada, andar com o auxílio de muletas, apoiar-se na perna não operada e sentar-se em cadeiras altas. De início é necessário o auxílio de andador para se locomover e evitar apoiar-se na perna operada. Todas essas recomendações são importantes para que a recuperação seja ágil e proveitosa.

É comum alguns pacientes sentirem desconforto no local de operação durante atividades físicas e principalmente à noite, período em que o corpo está relaxado. Outro problema muito comum é a queda no apetite, que pode reduzir a taxa de ferro no organismo prejudicando a velocidade de cicatrização. A solução nesses casos seria realizar uma suplementação de ferro para equilibrar a taxa desse nutriente no organismo.

No mais, as atividades normais e leves do dia a dia devem ser retomadas em até dois meses após a cirurgia, e a recuperação completa entre seis meses e um ano. Dependendo do paciente, um idoso com artrose, por exemplo, pode levar mais de um ano para se recuperar e ainda assim não conseguir retomar todas as atividades.

Fonte: Dr. Rogério Naim Sawaia (Ortopedia e traumatologia - Cirurgia do quadril)