Artigos

O que é?

O quadril costuma ser um local de impacto, ainda mais para os praticantes de esportes. Quando se exige do corpo movimentos de rotação, é possível que haja travamento do quadril e, caso não haja tratamento adequado, danos na articulação.

O travamento no quadril também pode indicar uma lesão chamada de impacto femoroacetabular do quadril (IFA). Esta condição indica alteração no formato dos ossos do quadril, fazendo com que eles não se encaixem perfeitamente. Com o desgaste gerado, seja pelas atividades diárias, ou por práticas de esportes, a cartilagem vai sofrendo danos que precisam ser tratados o quanto antes para não se tornarem irreversíveis.

Quais as Causas?

Além da alteração anatômica do acetábulo (superfície articular da bacia) e do fêmur (colo femoral), que juntos formam a articulação do quadril; a hipermobilidade das articulações e o desequilíbrio dos músculos pode gerar o travamento no quadril. São justamente essas alterações que geram para o paciente a sensação de articulação ‘travada’ causando quadros de dor.

Grupo de Risco

As pessoas que estão dentro do grupo de risco do travamento no quadril são pessoas que praticam esportes que exijam força e rotação nos ossos do quadril, como o futebol, o tênis e as artes marciais, por exemplo. Por isso é importante sempre atentar-se aos sinais que o corpo dá: em caso de dor no quadril, não hesite em procurar um médico ortopedista especialista em quadril.

Sintomas

Os principais sintomas ligados ao quadril travado são dores musculares, travamento das articulações e dores na virilha. Ainda é provável que o paciente sinta dor ao realizar movimentos de rotação (girar o corpo), ou ao agachar-se. É possível também sentir dor ao realizar movimentos simples como cruzar as pernas, alongar-se, abrir as pernas e levantar-se de uma posição sentada.
Já os pontos de dor para quem está suspeitando estar com o quadril travado, estão nos glúteos e na lateral das coxas, além de alguns pacientes sentirem um tipo de dor que é irradiada para os joelhos.

Para quem se exercita e está suspeitando de um possível travamento do quadril, é importante prestar atenção em como o corpo reage após a prática de exercícios físicos, já que este é um momento no qual as dores costumam aparecer.

Diagnósticos

Para que o médico ortopedista especialista em quadril possa dar o diagnóstico específico do caso, serão questionados os sintomas e um exame no quadril será realizado. O médico provavelmente também irá realizar exames físicos, ou seja, testes de impacto para ver como o corpo do paciente reage à dor. Se o teste causar dor no quadril, é possível que haja um caso de travamento no quadril.

Além disso, exames específicos serão pedidos. Entre eles, Raio-X, Tomografia Computadorizada (TC), Ressonância Nuclear Magnética (RNM), Teste Terapêutico Anestésico e exame com movimento analisado por computador.

O objetivo desses exames é analisar a fundo qualquer alteração que o paciente possa vir a ter no quadril, levando em conta desde desgastes nos tecidos moles: que são as cartilagens, os ligamentos, os músculos e os tendões; até a estrutura óssea do quadril e possíveis sinais de anormalidades.

Tratamentos

Para o travamento no quadril, são indicados dois tipos de tratamento: os cirúrgicos e os não cirúrgicos.

Não-cirúrgicos

No caso dos tratamentos não-cirúrgicos, estão envolvidos o uso de medicamentos e o tratamento com fisioterapia. O médico ortopedista especialista em quadril irá receitar medicamentos anti-inflamatórios para que o paciente sinta menos dor e possa realizar as atividades diárias com mais conforto.

Além disso, o paciente possivelmente será encaminhado para a fisioterapia: o objetivo é fortalecer os músculos que suportam a articulação. Com o tempo, haverá uma melhora nos movimentos do quadril, já que os músculos estarão fortalecidos.

Cirúrgicos

Nos casos mais graves, é realizada uma artroscopia de quadril, na qual o médico irá reparar o impacto femoroacetabular, que a longo prazo reduz, ou elimina totalmente os sintomas causados pelo quadril travado.

Em caso de dor, não tente se automedicar ou esperar ela passar. Consulte um médico ortopedista especialista em quadril. Ele terá a melhor orientação para o quadro específico de cada paciente e isso evitará complicações no futuro. É importante evitar sobrecarga ou exercícios e esportes de impacto que exijam ainda mais do quadril já lesionado.

Mais Informações

Para o maior sucesso da cirurgia, alguns pontos devem ser levados em conta: quantidade de cartilagem do paciente (quanto mais, melhor). Se realizada o mais cedo possível, a chance de sucesso é maior. A idade do paciente também tem impacto no resultado da cirurgia: quanto mais jovem o paciente, maior será a possibilidade de uma cirurgia com efeitos positivos. E, por fim, se a dor no quadril for percebida e o quadro for diagnosticado num curto período de tempo, maior é a chance de uma cirurgia que fará com que o paciente tenha os movimentos do quadril normalizados novamente, por isso a importância de consultar um médico ortopedista especialista em quadril.